2012 certamente irá marcar o fim da crise

15 de Novembro de 2011

Share

“2012 certamente irá marcar o fim da crise. Será o ano da retoma para o crescimento gradual de 2013 e 2014”, afirmou o ministro da Economia, no Parlamento. “Que não exista qualquer dúvida: este caminho será mais rápido e mais frutuoso se formos capazes de reformar as áreas que representam hoje o verdadeiro obstáculo à modernização e que nos separam da performance económica dos nossos parceiros”, disse Álvaro Santos Pereira. A agillização dos despedimentos individuais, a redução das compensações por despedimento, a flexibilização dos bancos de horas e o aumento do horário de trabalho são algumas das medidas em que o Governo está a trabalhar. Questionado sobre o impacto do aumento do horário de trabalho na economia, o ministro voltou a referir que os estudos feitos pelo Governo apontam para um aumento de 4% na competitividade. Miguel Laranjeiro, do PS, questionou o Governo sobre o facto de algumas empresas poderem reduzir o nível de emprego quando o aumento do tempo de trabalho entrar em vigor, consequência que é admitida por vários economistas e confederações patronais. Numa resposta genérica, o ministro da Economia referiu apenas que a medida poderá não ter o mesmo grau de interesse para todas as empresas, mas mostrou-se confiante sobre os seus efeitos na competitividade. Álvaro Santos Pereira reconhece que no próximo ano o desemprego deverá aumentar.

Negócios Online

Fonte Imagem Der terrorist

Top